ZÉ MARIA COM 2 ANOS PARA ADOÇÃO

O Zé Maria é um galgo resgatado de negligencia e maus tratos pelo Movimento Animal – MAAE Movimento Animal Associação de Elvas.

Foram busca-lo em estado miserável com leishmaniose, extremamente magro, a sangrar, ferido e triste, mas já parece outro animal.

É do mais querido que existe, humilde, bonzinho, amigo de pessoas, crianças, todos os animais, muito agradecido e extremamente dócil.

Aguarda em Elvas na Associação adotantes para lhe darem uma vida de amor e carinho bem merecida, depois de tudo o que lhe fizeram.

Está desparasitado, vacinado, tem microchip e está castrado, está a fazer tratamento para a leishmaniose.

Para adoção sff envie o formulário de adoção, se já enviou é só ligar.

 

MAK COM 4 ANOS PARA ADOÇÃO

O  Mak tem 4 anos e é um galgo encantador e apaixonante, adora outros animais mas não gosta de gatos.

Um animal muito meigo, ternurento, paciente, obediente, medroso de início principalmente com homens o que é normal pois caçadores e galgueiros são todos homens, mas depois de umas horas, é do mais fofo que existe, grato, adora brinquedos, de ir buscar e  trazer, algo muito raro em galgos.

Fica bem sozinho, não é de destruir pois é paciente e bem comportado, procuramos uma família especial que cuide dele e lhe ofereça companhia, atenção, amor, conforto e qualidade de vida.

Foi resgatado com uma pata partida que já foi intervencionada com placas de compressão móveis, falta um RX final para ver o calo ósseo, mas ficou funcional. Foi operado  em 23 de Dezembro e fez três meses de fisioterapia. Pode algures no futuro (nos próximos dois anos) precisar de retirar a placa, algo simples de resolver.

Encontra-se para adoção junto da Luísa Fechner  do Clã do Cão  o recuperou e que o transformou num galgo maravilhoso.

Está desparasitado, vacinado, tem microchip e está esterilizado, apenas falta a família perfeita.

Para adoção já sabe basta enviar o formulário de adoção e depois ligar:  https://www.katefriends.org/formulario-adocao/

Veja o vídeo: https://youtu.be/4RLNSfkjKaE

DARA COM 5 ANOS PARA ADOÇÃO

Já tem adotante escolhido.

*******************

Actualização: A Dara foi resgatada com 18 Kg e neste momento já pesa 26Kg, o seu pelo está maravilhoso, as sua fisionomia irreconhecível, passou de um galgo autista, triste e que ficava deitada 20h para um animal alegre, agradecida, feliz, que adora cães e gatos, pessoas e que adora passear e correr na praia no campo, sempre a olhar para trás para não perder de vista quem a protege. Tem leishmaniose, toma Aluporinol e Enalapril diário, come ração renal com arroz e legumes e tem estado a melhorar mas devagarinho. Pode ser adotada desde que por alguém que não se importe da sua doença e que saiba que requer sempre um tratamento especial com analises periódicas e ração especial para continuar a melhorar.

A Dara é um ser muito especial, dotada de uma bondade e sensibilidade extrema, muito humildade, carinhosa, asseada, obediente, educada, anda bem de carro, anda bem à trela, anda bem solta é de uma ternura fora de série.

É uma greyhound inglesa que gosta muito de pessoas de cães e gatos, é uma senhora, veio cega de uma vista, tem muitas peladas, feridas, cauda partida, orelhas feridas, uma já sem parte dela,  em estado de magreza extremo, está em FAT da Katefriends aqui em Oeiras, vieram mãe e filha de boleia solidária com o nosso amigo António Lima.

A Dara vai ficar a recuperar e aguardar adotantes especiais em FAT, está desparasitada externa e internamente, tomou um banho de recuperação do estado da pele, tem microchip,  já fez analises sanguíneas e está com uma grande anemia e com leishmaniose, já iniciou o tratamento que será com Leishmaster, Zyloric  intervalando com analises para avaliação semanal.

Em principio se o organismo dela reagir bem terá recuperação, e será entregue para adoção quando livre de perigo por alguém que repare na sua enorme ternura,  um animal que apesar de estar neste estado acredita na bondade humana e cheia de vontade de viver.

Para adoção será necessário ter tempo para lhe dedicar, dar-lhe tempo para ela recuperar e  muito amor para dar e receber, pois ela é super ternurenta, veja o vídeo: https://www.youtube.com/shorts/DE7J5UBg0Eo

Para adoção responda através do formulário e ligue-nos de seguida.

SURI COM 9 ANOS PARA ADOÇÃO

Já tem adotantes escolhidos

********************

A Linda, doce, simpática, cativante greyhound inglesa Suri  é um ser especial como todos os galgos depois de adultos.

É muito tranquila, bem disposta, obediente, anda ao lado da perna, não é de fugir, é muito sociável, gosta de pessoas, de crianças, de animais, é simplesmente encantadora.

Foi resgatada por uma senhora de abandono e maus tratos na via pública e recuperada com muito carinho e dedicação pela Associação “Os Rafeiritos do Alentejo” que fica  no concelho de Castro Verde, onde ainda se encontra para adoção responsável.

Está desparasitada, tem microchip, está vacinada e esterilizada.

Para adoção basta enviar-nos o formulário de adoção e depois ligar.

GUIA PRÁTICO DO NOVO ADOTANTE GALGO

São muitas as perguntas e questões que nos colocam todos os dias,  antes e depois de adotar um galgo, por isso para esclarecer algumas perguntas básicas,  aqui fica o mais importante que necessita ter consigo antes de adotar o seu  galgo.

No email, carta e  termos de adoção da Katefriends,  explica muita coisa mas para quem nunca adotou nenhum, deixamos aqui a informação.

1- No dia da adoção quando for buscar o galgo levar um  peitoral de pânico de 3 pontos de apoio, e coleira própria para galgos de forma a evitar fugas iniciais, de preferência com trela dupla. Com o medo e stress das mudanças, eles conseguem MESMO soltar-se e fugir se não for prevenido.

2-Levar também uma chapa de identificação com o contacto do dono para colocar  no pescoço ou peitoral do animal quando o for buscar e nunca a retirar. A maioria das pessoas quando encontra um animal perdido, se tiver chapa até o recolhem partindo do princípio que tem donos, não tendo identificação, por vezes tiram apenas fotos, com receio de ter de  ficar com ele uns dias até conseguirem resolver a situação.  Também evita terem de  procurar uma clínica veterinária para verificar leitura do microchip, que podem estar fechadas por ser de noite, feriado, domingo ou ser longe, tornando assim possível ligar aos proprietários de imediato, e o animal ser entregue mais rápido.

3- Prender o galgo ao cinto de segurança do banco de trás, ou nas argolas de fixação de carga da bagageira, de forma a quando abrir a porta ele não consiga fugir.

4 – Galgos fazem muitas gastroenterites iniciais, devido ao medo, stress, mudança de local, desparasitação interna e externa e principalmente mudanças alimentares. Por vezes como estão habituados a comer  rações ditas de gama baixa que recorrem aos cereais, as que introduzimos para os recuperar e que os adotantes escolhem depois de adotar, são muito mais ricas  em proteína,  gordura,  fibras, cálcio, fósforo, omega3, etc.,  provocando no organismo dos galgos com intestinos sensíveis, pele sensível, alergia a alimentos ou outras intolerâncias, com tanta mudança  graves problemas gastrointestinais. Desta forma recomenda-se sempre na altura da adoção questionar sobre que ração o animal estava a ser alimentado, para iniciar com a mesma, e se mudar de ração misturar de forma gradual, para evitar problemas graves, sofrimento do animal e despesas acrescidas.

5- Quando adotamos um animal, se o motivo da alteração intestinal estiver relacionado com a alteração de alimentação e desparasitação recente, devemos ter  sempre à mão em casa FortiFlora saquetas, dar arroz com frango e retirar a ração, dar também muita água por causa para não desidratar, e em caso de agravamento com vómitos, ruídos fortes no intestino e sangue nas fezes, levar de imediato ao veterinário.

Cristina Gonçalo Katefriends.org

Katefriends Associação na RTP – Praça da Alegria dia 02/06/22

Hoje dia 02/06/2020, na RTP1, às 11H00 na Praça da Alegria, a Katefriends Associação representada pelos seus adotantes Maria Laura Ferreira , Pedro Monteiro e pelo famoso Dr. Mario Santos Arte Veterinária no Porto, conhecedor das características específicas genéticas e da interpretação das análises sanguíneas dos galgos que são MUITO diferentes dos outros cães, resultou numa entrevista completa e assertiva para quem quer aprender mais sobre esta raça. Queremos agradecer de alma e coração, a todos que estiveram presentes, em especial à RTP, ao programa Praça da Alegria, à produção e apresentadores, Jorge Gabriel, Sónia Araújo e Diana Amarante de Albuquerque. Para adoção entre em www.katefriends.org – Adoção de Galgos em Portugal e ajude-nos fazendo FAT ( família de acolhimento temporário), adotando, enviando donativos para podermos irmos buscá-los, recuperá-los e alimentá-los e comprando artigos para galgos e outros na nossa lojinha on-line solidária. Obrigada

MANUAL PARA ADOÇÃO DE GALGOS.

  • Têm medo de entrar dentro de casa.
  • Resposta:  Normalmente nunca entraram, por isso têm medo para eles tudo é estranho e assustadoramente novo.
  • Não conseguem caminhar no chão dentro de casa pois escorregam e têm medo.
  • Resposta:   Têm de aprender a andar no interior, aconselha-se a cortar as unhas  e colocar tapetes nas partes mais escorregadias para não ganharem medo até se habituarem. 
  • Não sabem subir nem descer escadas.
  • Resposta: É normal não saberem, têm de ser ensinados, é simples basta colocar-lhe as patas uma a uma nas escadas primeiro a subir, depois a descer, explicando com calma pois eles aprendem muito rápido. Em 48 horas já experimentam sozinhos e começam a dominar a técnica.
  • Não se deitam na cama deles, mas sim no chão.
  • Resposta: Nunca tiveram uma cama, não sabem o que é nem para que serve, têm de os deitar lá em cima para entenderem que é deles, que é fofa e depressa aprendem para o que serve e como é confortável.
  • Têm medo de tigelas e de comer.
  • Resposta:  Significa que foram alimentados no chão e têm medo de tigelas, convém colocar em suportes ou em cima de tapete de forma a não arrastarem e fazerem barulho no chão, para não se assustarem até se acostumarem, podem também ter medo de se alimentarem com pessoas perto ou outros animais o que também é frequente, deem-lhes espaço.
  • Não fazem necessidades à trela e depois fazem dentro de casa.
  • Resposta:  Muito frequente, os galgos sempre viveram em canis ou terrenos, têm de ser habituados pois não conseguem descontrair de trela e só quando soltos de regresso a casa conseguem fazem ao início, uma das soluções é comprar uma corda de volteio com 5/6 metros e acrescentar à trela nos passeios para dar alguma privacidade e descontração e permitir assim habituarem-se mais depressa, passear em zonas com relva ou mato pois é mais convidativo para wc, colocarem um resguardo no local onde fazem até aprenderem a comunicar e os donos a saber ler os sinais.
  • Fazerem Distúrbios Gastrointestinais com facilidade.
  • Resposta: É normal os galgos ficarem com as fezes moles depois de correrem muito, algo que normaliza quando regressam à calma. Mas as causas mais comuns que originam diarreia e vómitos nos galgos é devido a mudanças: Alterações na sua rotina, ansiedade de separação, crises de stresse e de medo como ataques de pânico, idas ao veterinário, comer lixo ou comida estragada, lamberem ou comerem ervas tóxicas e porcarias, pois eles adoram pastar.
  • Não comem ração.
  • Resposta:  Normalmente os galgos das corridas nunca comeram ração, para os habituar basta misturar comida húmida ou carne com arroz na ração e ir retirando aos poucos até se habituarem.
  • Por vezes respiram de forma ofegante como se lhes faltasse o ar.
  • Resposta:  Os galgos resgatados acabados de adotar, dormiram sempre na rua e ao frio, a transição para casas aquecidas pode provocar-lhes acessos de calor e dar origem a essa respiração estranha que parece anormal, mas que na grande maioria dos casos é apenas calor.
  • Passarem muitas horas deitados e sem fazer necessidades.
  • Resposta:  Ao início o medo, ansiedade e os nervos fazem com que evitem levantar-se e aguentem horas a fio só para não saírem da caminha com medo de ficarem sem ela, ou irem à rua e poderem não voltar a entrar, mas têm de ser levados de forma rotineira, colocando a trela no peitoral de pânico e coleira, pois apesar de custar muito aos donos ao início e demorar muito, têm de aprender a criar hábitos, regras e horários.
  • Rosnarem quando surpreendidos durante o sono noturno.
  • Resposta: Alguns galgos têm esta reação,  não é agressividade mas sim medo, não convêm surpreende-los com festas ou mantas ao início quando dormem principalmente de noite, pois podem acordar assustados e sem querer reagirem, muitos galgos eram acordados e obrigados a fazer coisas que não queriam e até se habituarem que a vida mudou, convém dar-lhes espaço, tempo e deixa-los começar a confiar em vós primeiro.
  • Tentarem fugir.
  • Resposta:  98% dos galgos resgatados vêm cheios de medos, stress, ansiedade, pânico, alguns de todas as pessoas, outros só de homens, outros de cães, barulhos, eles nunca saíram das suas quintas ou herdades a não ser para treinos e corridas, viveram sempre em boxes e canis,  tudo na cidade é novo e assustador, mesmo as pessoas que os adotaram e que ainda nem as conhecem nem confiam, até criarem laços com elas e se habituarem à vida citadina leva muitos meses e em geral um ano a ficarem perfeitamente adaptados, daí os peitorais de pânico com 3 pontos de apoio serem o melhor amigos dos donos, para evitar serem surpreendidos quando menos esperam a literalmente “despirem” as coleiras e peitorais normais, como todos têm conhecimento.
  • Como ajudar um galgo a perder o medo.
  • Resposta:  De preferência com outro galgo ou outro cão que não tenha medo, seja tranquilo e já devidamente adaptado aos donos, ou solicitar ajuda de um treinador experiente para fazer adaptação de preferência numa matilha equilibrada, os galgos adaptam-se mais depressa com outro ou outros sem medo e já ensinados. Um galgo exige adotantes com muito tempo disponível para os recuperar e pouco tempo sozinhos para não fazerem ansiedade de separação.
  • Largarem pelo e fazerem caspa ao início.
  • Resposta: Os galgos que viveram sempre na rua têm um pelo mais espesso chamado “pelo do canil” que os ajuda a protegerem-se do frio, quando mudam para dentro de casa o pelo irá começar a mudar, ficar mais fino, sedoso e brilhante, acontece muito ao início depois de tomarem pela primeira vez banho a pele secar e fazerem caspa, para melhorar a pelagem do seu galgo, é recomendável a utilização de pipetas de ácidos gordos que vão fortalecer a barreira dérmica e promover uma pelagem macia e brilhante, recomenda-se também o uso de óleo de salmão na ração. Fazem também muita caspa sempre que ficam ansiosos e com medo.
  • Quando se pode soltar um galgo.
  • Resposta: Dependendo do grau de trauma do animal adotado, os galgos demoram sempre muitos meses mais de 6 meses até poderem ganhar confiança para serem soltos em campo aberto ou na praia, sem  estarem devidamente ambientados com a família, conhecerem o caminho para casa, reconhecerem  o seu próprio nome, estarem já habituados aos donos e seu chamamento e principalmente após terem  sido muitas vezes soltos em recintos fechados e testada a sua obediência para que tenham a certeza que confiam no dono e obedecem quando os chamam ou quando se assustam, de outra forma poderão nunca mais o ver, ele fugir, não voltar e ser atropelado. Acrescentamos que nenhum galgo é 100% de confiança nunca, são cães de caça que reagem a estímulos quando vêm algo que possam caçar, nessas alturas ignoram todos os comandos, ligam o chip da caça e desparecem a alta velocidade.
  • Qual a melhor raça para interagir com um galgo.
  • Resposta: Galgos reconhecem-se uns aos outros como se todos fizessem parte de uma enorme família, a melhor raça para interagir é outro galgo, a sua velocidade, personalidade muito peculiar, as suas brincadeiras de mordiscar pescoço, cauda e pernas uns dos outros a correrem, é melhor interpretada entre a raça do que com outras raças, que por vezes lhes mordem por não entenderem que é brincadeira.
  • Porque é tão difícil adotar um galgo bebé.
  • Resposta: Porque fazem ansiedade de separação dos manos e pais quando retirados da ninhada, porque acordam de 4/4 horas para comer e estão sempre a fazer necessidades que depois pisam e sujam tudo, porque gritam muito de dia e de noite se ficam sozinhos, os vizinhos reclamam os donos não dormem, porque roem tudo onde conseguem chegar e podem magoar-se, engolir algo e asfixiar, porque escavam tudo onde houver terra até em vasos, porque requerem muito tempo, presença, treino, regras e sobretudo para ser mais fácil a presença de outros cães para não ser tão doloroso para eles, para aprenderem regras sociais e de matilha, imitando os mais crescidos que já estão devidamente educados. 
  • Porque é difícil adotar um galgo.
  • Resposta: Sim é difícil, os galgos são MUITO diferentes dos outros cães, o seu comportamento e personalidade não é em nada semelhante ao comportamento do típico cão que todos estão habituados, os galgos são a raça mais maltratada do mundo, têm traumas profundos, são difíceis de cativar, independentes, desconfiados, medrosos, sofrem de ansiedade de separação, dão muita luta até confiarem em nós, têm de ser conquistados através de amor e confiança, são muito sensíveis e emotivos, inteligentes e perspicazes, são extremamente rápidos e com uma visão extraordinária, têm ativado o chip do movimento e perseguem tudo o que corre e se move, distanciando-se de nós em segundos, conseguem tirar coleiras e peitorais de dois apoios com uma facilidade surpreendente, conseguem pular vedações e muros altíssimos alguns deles com mais de 3 metros, conseguem sair por janelas entreabertas e por vezes aprendem a abrir portas, odeiam estar sozinhos, deprimem com a solidão, choramingam muito, conseguem fazer 40k/ hora a caminhar e por isso distanciarem-se em caso de fuga km’s em pouco tempo. São cães de caça e por isso não convém adotar galgos quem tem ou tenha vizinhança com galinhas, patos, coelhos, ovelhas, estes adotantes devem ter muros com mais de 3 metros, porque redes eles trepam, rasgam ou escavam por baixo e pior podem ficar lá presos se tiverem arame farpado e rasgarem-se todos a saltar como acontece muito nesta raça. Por todos estes motivos são também uma raça que se torna um desafio para quem os adota, um teste há nossa perseverança, persistência, determinação, para ultrapassar os desafios que eles nos colocam, à nossa capacidade de nos transformar em terapeutas e tratar os seus traumas e inseguranças, os medos, as dificuldades. A sua extrema ternura, doçura e gratidão eterna tocam a alma de quem os adota e aprende a interpretar os seus sentidos, conhecendo um conhece todos…. Para quem nunca teve um, tem de esperar no mínimo um mês até a verdadeira personalidade do animal que adota começar a desabrochar, e um ano até estar devidamente adaptado. A minha frase para quem nunca teve um é “Primeiro estranha-se…depois entranha-se.” Boa sorte e pense bem antes de preencher o formulário de adoção!

(to be continued…)

Lua & Me

Texto de Cristina Gonçalo www.katefriends.org     

VÍDEO QUE DEMONSTRA COMO OS GALGOS DESPEM AS COLEIRAS E PEITORAIS CONVENCIONAIS

Veja o vídeo demonstrativo no Youtube: https://youtu.be/X0lpnogxZ0Q
A katefriends.org há muito que aconselha apenas utilizar coleiras e peitorais adequados para galgos e tem sempre disponíveis para todos os que adotam galgos os peitorais de pânico de 3 pontos de apoio e as Martingale em conjunto com trela dupla, que são sem duvida nenhuma o único método que nenhum galgo consegue retirar e fugir quando se sobressalta ou assusta.
Aqui deixo o que avisamos há 30 anos, eles conseguem tirar tudo, exceto o método que recomendamos.
Existem em vários tamanhos, saiba tudo na nossa loja solidária basta clicar em:

Katefriends.org no programa “Hora de Estimação”, na CMTV 06/03/2021 10H18

Katefriends.org hoje dia 06/03/2021 ás 10H18 no programa “Hora de Estimação”, na  CMTV a explicar tudo o que necessita saber para adotar um Galgo ❤️
Obrigada CMTV por todo o interesse e carinho demonstrado, obrigada Pedro Monteiro pelo vídeo 🙏